©2017 Rede ABRA. Orgulhosamente criado com Wix.com

Rede ABRA & Rios de Encontro invite you to celebrate

Contexto do Fórum Bem Viver 2018

ABRA vem preparando este Fórum desde 2015, quando virou a única rede nacional baseada na Amazônia a ganhar um dos 10 prêmios nacionais do Ministério da Cultura no Brasil. Nossa espécie enfrenta uma escolha inédita no atual ecocídio global. O projeto ‘Redes de Criatividade’ prioriza a transformação do celular em recurso artístico e cultural de pedagogias criativas como uma chave nesta escolha.


Transformar a força viciante-isolante desta poderosa micro-tecnologia de refúgio na fantasia consumista em um projeto de libertação em rede é essencial para preparar os jovens como líderes de uma ‘sociedade de bem viver’. As mídias sociais podem contribuir à modelos de governança comunitária inclusiva e sustentável, guiados pela autodeterminação interdependente e nova performance dos direitos humanos!  

Este prêmio reconheceu a contribuição da ABRA a este projeto global desde sua fundação em 2005, na aplicação das artes para demonstrar e defender a ‘educação pela sustentabilidade’. Uma marca de nosso Congresso Mundial IDEA 2010 e contribuições na Aliança Mundial pela Arteducação, Fórum Social Mundial, Fórum Social Pan-Amazônico e Rede Latino-Americana de Artes pela Transformação Social, é performance como pedagogia. 

Objetivos do Fórum Bem Viver 2018

1. Trazer 02 jovens (16-24 anos) e 01 coordenadora do projeto de cada um dos 10 polos da ABRA, para apresentar as metodologias e os resultados de seu projeto Bem Viver, através de vídeos e fotos feitos com celulares, instalações, performances e oficinas;
 

2. Trazer outros 20 gestores de projetos Bem Viver para trocar conhecimentos e desenvolver colaborações e ações mediáticas (16 do Brasil e 04 da Nova Zelândia-Aotearea) para celebrar, questionar, fortalecer e popularizar suas pedagogias;

3. Fortalecer as pedagogias e as redes regionais, nacionais e internacionais de Bem Viver para cultivar a confiança num paradigma alternativo contemporâneo ao atual paradigma predatório, autodestrutivo e autoritário da exploração competitiva não regulamentada;

Pedral do Lourenção, Rio Tocantins, Pará, Brasil

Resultados esperados do Fórum Bem Viver 2018


1. Um projeto cultural Bem Viver estabelecido no quilombo Chacrinha; os professores e a Secretaria de Educação de Moeda, comprometidos com a educação artística e a microtecnologia para a sustentabilidade; 

2. Arquivo de 10 instalações digitais, 10 vídeos produzidos por jovens; 10 vídeos de performances significativas e vídeos dos minicursos e oficinas realizados durante o fórum; vídeos das pedagogias e performances da Nova Zelândia, para garantir disponibilização destes recursos e memória dos processos;

3. Arquivo de diálogos entre 20 coordenadores de projetos Bem Viver com insights chaves sobre seus desafios e metodologias e realizações sustentáveis, registrado em nosso site: www.riosdecriatividade.com.

4. Usar esses recursos e experiências para entender o poder manipulador e viciante do celular e, como transformá-lo em poder pedagógico, documental, comunicativo e criativo;

5. Fortalecer a performance afro-brasileira do quilombo Chacrinha e revelar as potências das culturas afrobrasileira, indígena e euro-brasileiras como recursos pedagógicos para a Educação pela Sustentabilidade, através de minicursos do pré-Fórum e oficinas do Fórum; 

6. Fortalecer a resiliência de Moeda (MG), suas comunidades e instituições, hoje o único município da região que recusa o acesso a empresas mineradoras locais, nacionais e transnacionais, pela instalação de painéis solares em uma escola pública para energias sustentáveis, e pela imersão no Fórum Bem Viver.

4. Um mapa claro das origens da cultura populista e isoladora dominante do celular, insights e metodologias pedagógicas para transformar essa tecnologia em um poder criativo e produtivo para o desenvolvimento de comunidades bem viver; 

5. Redes vivas regionais, nacionais e internacionais fortalecidas e desafiadas a integrar pedagogias de performance baseadas nas artes;  

6. Cidade de Moeda reconhecida pela UNESCO como uma Cidade Verde, germinada com uma Cidade Verde europeia; pelo menos 04 painéis de energia solar instalados na Escola Municipal de Moeda,  com uma estratégia municipal para desenvolver uma indústria de energia solar através de parcerias locais e internacionais; ponte internacional construída entre a Nova Zelândia e a Amazônia e os 10 projetos regionais da ABRA.