©2017 Rede ABRA. Orgulhosamente criado com Wix.com

Rede ABRA & Rios de Encontro convidam para celebrar

Fórum Bem Viver

O primeiro Fórum Bem Viver, comunitário-internacional, encerrou no Dia da Amazônia, com intervenções das Américas na Câmara dos Vereadores em Marabá e oficinas de dança e percussão ministradas pela Policia Militar da Bahia e por arte educadores da Colômbia e do Equador, em Cabelo Seco.

De resultado duradouro, o Fórum Bem Viver inspirou uma rede de ações paralelas e contribuições virtuais em instituições solidárias em 42 países, e demonstrou em plena crise que maduras metodologias alternativas e inovadoras existem para construir democracia participativa e comunitária, e criou uma rede com 50 redes, esperançosa, ousada e comprometida com uma Amazônia sustentável.

Para motivar Marabá e região recusarem o projeto de hidrelétrica, hidrovia, mineração e siderúrgica e abraçarem um projeto alternativo de bem viver abastecido pela energia solar, vamos concentrar nosso processo colaborativo de 04 dias nas praças, escolas e rios de três comunidades chaves. Vamos usar todos os meios de comunicação disponíveis para dialogar principalmente com a inocência radical da criança.

O primeiro Fórum Bem Viver, comunitário-internacional, encerrou no Dia da Amazônia, com intervenções das Américas na Câmara dos Vereadores em Marabá e oficinas de dança e percussão ministradas pela Policia Militar da Bahia e por arte educadores da Colômbia e do Equador, em Cabelo Seco.

De resultado duradouro, o Fórum Bem Viver inspirou uma rede de ações paralelas e contribuições virtuais em instituições solidárias em 42 países, e demonstrou em plena crise que maduras metodologias alternativas e inovadoras existem para construir democracia participativa e comunitária, e criou uma rede com 50 redes, esperançosa, ousada e comprometida com uma Amazônia sustentável.

Artistas, cientistas, enfermeiras, advogados, jornalistas, extrativistas, lideranças indígenas e dos movimentos sociais, professores na mesma plateia, vivenciaram seis provocações sobre o Rio Tocantins, de 2-3 minutos cada, pontuadas por cochichos, de Abraão Levy (Unifesspa), Elizabete Pires (UFPA), Iremar Ferreira (Movimento Rio Madeira Vivo), Ulisses Pompeu (jornalista), Dani Silva (Movimento Rio Xingu Vivo), e Alessandra Munduruku (Movimento Rio Tapajós Vivo).